Após liminar, presidente da federação do Rio espera cenário favorável para o Hipismo

Posted on

“Podemos acreditar na Justiça para, agora, trabalhar com mais tranquilidade em prol do nosso tão amado esporte”. Assim a presidente da Feerj (Federação Equestre do Rio de Janeiro), Alejandra Maria Fernandez Neto, pronunciou-se ao BLOG nesta quinta-feira, 8/4, sobre decisão liminar que restaurou o direito de voto da entidade na CBH (Confederação Brasileira de Hipismo) e, assim, suspendeu efeitos da eleição de 29/1.

A liminar, datado de 6/4, é assinada pelo juiz titular João Marcos de Castello Branco Fantinato, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

“A ação proposta pelas federações e representantes dos atletas teve uma liminar admitida que reconheceu, inclusive, a ilegalidade de terem descredenciado após o encerramento do credenciamento na assembleia geral de eleição”, detalha, em seu comentário, Alejandra.

Em seu despacho, o juiz ressalta justamente esse ponto. Escreveu o magistrado: “Verifica-se que a federação foi descredenciada uma vez que não era brasileira sua representante designada para votar em seu nome, a Sra. Alejandra Maria Fernandez Neto. Entretanto, a vedação à participação de estrangeiros prevista no artigo 27 do estatuto da CBH se limita a cargos de sua diretoria ou de qualquer de seus poderes, não para representar um eleitor em assembleia”.

Nova eleição

“Então que isso já é uma questão a princípio superada e que uma nova eleição ou novas atitudes em relação à eleição passada serão apreciadas e decididas pelo poder judiciário”, entende Alejandra.

“Estou muito tranquila porque fui legitimamente eleita e os impedimentos relatados no estatuto da CBH não nos alcançam”, acrescenta a presidente. Ela pontua que, “infelizmente, uma interpretação abusiva foi feita diante desse dispositivo”.

‘Que se resolva’

Alejandra lamenta, ainda, que “esse imbróglio atravanca ações que poderiam estar sendo executadas e beneficiando o esporte”. Demonstra, contudo, confiança: “Que tudo se resolva o mais breve possível e que todos, juntos, trabalhemos para o bem do esporte”.

A comissão eleitoral da CBH já negou qualquer irregularidade na condução do pleito – que terminou com dois grupos se declarando vencedores: a chapa oposicionista “CBH Forte e Ativa”, encabeçada por Barbara Laffranchi, e a situacionista “Hipismo para Todos”, que teve à frente Francisco José Mari (Kiko).

O BLOG enviou, na quarta-feira, pedido de posicionamento atualizado da entidade diante da decisão liminar e aguarda resposta. Outros questionamentos sobre o recente processo eleitoral ainda estão sob análise judicial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *